Venda de casas dispara 16,6% em 2018 e está em máximos de 10 anos

Thu 29 Aug 2019

Foram vendidas em Portugal 178.691 habitações em 2018, mais 16,6% que no ano anterior. Trata-se do registo mais elevado dos últimos 10 anos (desde 2009), segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). Já o número de edifícios licenciados aumentou 17,6% face ao período homólogo, tendo sido licenciados 22,2 mil edifícios. 

“De entre as transações realizadas, 85,2% respeitaram a alojamentos existentes, mais 0,7% que no ano anterior. Em 2018, o preço mediano de alojamentos familiares vendidos em Portugal foi 996 euros por m2, registando um aumento de 6,9% relativamente ao ano anterior. O preço mediano da habitação superou o valor nacional nas regiões Algarve (1.523 euros por m2), Área Metropolitana de Lisboa (1.333 euros por m2) e Região Autónoma da Madeira (1.207 euros por m2)”, conclui o INE.

Número de edifícios licenciados dispara 17,6%

No que diz respeito ao número de edifícios licenciados no país, cresceu 17,6% face ao ano anterior, correspondendo a 22.223 edifícios. “Os edifícios licenciados para construção nova reforçaram a sua predominância em 2018, representando 68,9% do total de edifícios licenciados (+0,7% face a 2017)”, lê-se no site do INE. 

Já as obras para reabilitação de edifícios (obras de alteração, ampliação e reconstrução de edifícios) cresceram 11,7% em termos anuais, apresentando em 2018 um peso de 25,3% (26,5% em 2017). “O número de fogos licenciados (28.321 fogos) aumentou 30,3% face ao ano anterior (+19,0% em 2017). O número de fogos de construções novas para habitação familiar foi 20.205, tendo crescido 38,9% face ao ano anterior (+24,5% em 2017)”, explica o instituto, salientando que havia em Portugal, em 2018, cerca de 3,6 milhões de edifícios de habitação familiar clássica e 6 milhões de alojamentos familiares clássicos, o que representa um aumento homólogo de 0,2%, em ambos os casos.

Obras concluídas crescem 19%

Os dados revelados pelo INE permitem ainda concluir que relativamente às obras concluídas registou-se um crescimento de 19% no número de edifícios concluídos face ao ano anterior, correspondendo a 13.483 edifícios, a maioria dos quais edifícios relativos a construções novas (73,6%). Os edifícios residenciais representam 72,2% do total de edifícios concluídos. 

“O número de fogos concluídos (15.570 fogos) registou um acréscimo de 36,3% face ao ano anterior (+13,1% em 2017). As obras de reabilitação concluídas cresceram 10,6% (2,6% em 2017), tendo o seu peso no total diminuído 2%, para 26,4% em 2018”, refere o INE, salientando que, por tipo de obras, as obras de construção nova foram as que demoraram mais a ser executadas (22 meses), quando comparadas com as obras de alteração (11 meses).

Artigo original aqui.

Our website, like many others, uses cookies to help us customise the user experience. Cookies are important to the proper functioning of a site. To improve your experience, we use cookies to remember log-in details and provide secure log-in, collect statistics to optimize site functionality and deliver content tailored to your interests.

Agree and Proceed
X