Baixa de Lisboa fechada ao Trânsito a partir de Agosto

Fri 31 Jan 2020

Várias ruas da Baixa e Chiado passarão a ser pedonais. Parte central da Av. da Liberdade será parcialmente fechada ao trânsito. Rua da Escola Politécnica e Rua de S. Bento também terão mudanças. Carros de plataformas como a Uber ou a Bolt só poderão circular na Baixa se forem eléctricos.

É uma autêntica revolução a que se avizinha para o trânsito automóvel em Lisboa. Chegar de carro próprio à Baixa vai ser proibido para a generalidade dos automobilistas a partir do Verão e também estão previstas obras e outras intervenções em vários locais à volta do centro histórico com o objectivo de reduzir o número de carros, aumentar o espaço pedonal e facilitar a vida aos transportes públicos.

A nova Zona de Emissões Reduzidas Avenida Baixa Chiado (ZER ABC), que deverá estar plenamente em vigor em Agosto, estende-se do Rossio à Praça do Comércio e da Rua do Alecrim à Rua da Madalena. Nesta área apenas poderão circular os veículos autorizados – é obrigatório ter um dístico e que o automóvel cumpra a norma Euro 3 (posterior a 2000). No período diurno, entre as 6h30 e as 24h, haverá controlos de acesso e sanções para os incumpridores.

Actualmente entram na Baixa 100 mil viaturas por dia e a Câmara espera uma redução de 40 mil veículos com a introdução destas medidas. “Tudo isto vem sendo trabalhado há quase dois anos”, disse Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, esta sexta-feira na apresentação do plano. “Nós precisamos mesmo de fazer esta intervenção”, defendeu, argumentando que a poluição atmosférica é um dos principais factores de doenças graves e morte prematura. Neste capítulo, disse, Lisboa tem pouco com que se orgulhar, uma vez que os limites legais de partículas finas e gases poluentes são frequentemente ultrapassados no centro da cidade. As restrições à circulação automóvel na Baixa deverão traduzir-se, de acordo com o autarca, numa redução de emissões na ordem das 60 mil toneladas de dióxido de carbono por ano.

Estas restrições vêm acompanhadas de obras em várias artérias. A Rua Nova do Almada (a partir do Largo da Boa Hora) e a Rua Garrett vão passar a ser totalmente pedonais, a Rua da Prata e o Largo do Chiado também ficam sem carros e apenas com transportes públicos. Na Rua dos Fanqueiros e na Rua do Ouro vão ser criadas novas ciclovias através da eliminação de vias de trânsito automóvel. Estão ainda previstas intervenções na Rua de S. Pedro de Alcântara (no estreito troço que ladeia a Igreja de São Roque) e no Largo do Calhariz. Ambas as artérias passarão a ser de uso exclusivo por transportes públicos.

A sessão desta sexta foi a primeira em que se falou publicamente deste projecto, que só agora será apresentado em mais detalhe às juntas de freguesia, a moradores e comerciantes. Fernando Medina promete para Fevereiro o início do debate público e quer ter um regulamento e restante processo burocrático despachado até ao fim de Março. A partir de Maio abrem as inscrições para obter dístico. Em Junho e Julho a ZER já estará a funcionar, mas ainda “com carácter informativo e de sensibilização”.

Leia o artigo original aqui.

Veja como ficará o centro de Lisboa aqui.

Our website, like many others, uses cookies to help us customise the user experience. Cookies are important to the proper functioning of a site. To improve your experience, we use cookies to remember log-in details and provide secure log-in, collect statistics to optimize site functionality and deliver content tailored to your interests.

Agree and Proceed
X