Estrangeiros compraram 8,5% das casas vendidas em Portugal em 2019

Tue 22 Sep 2020

Quase 40% dos imóveis comprados por não residentes correspondeu a valores iguais ou superiores a 500 mil euros. Algarve ultrapassou Lisboa pela primeira vez.

Os estrangeiros em Portugal andam a comprar menos casas, mas andam a comprar cada vez mais caro. No ano de 2019, os cidadãos não residentes em Portugal foram responsáveis por 8,5% dos imóveis transacionados e em valor a compra por estrangeiros assegurou uma fatia de 13,3%.

Depois de dois anos muito fortes na compra de imobiliário por parte de estrangeiros, o ano de 2019 trouxe algum arrefecimento. Em 2018, os acréscimos face ao ano anterior foram de 14,5% em número e 19,2% em valor; em 2017, o crescimento tinha sido de 22,2% em número e 22,6% em valor. Em 2019, o número de imóveis adquiridos por não residentes chegou mesmo a diminuir (2%), tendo aumentado apenas 1% em valor.

Em 2019, o valor médio dos prédios vendidos a não residentes situou-se em 176.429 euros (+3,1% face a 2018). Este valor é 57% superior ao valor médio das transacções totais.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), a distribuição regional do número e do valor dos imóveis adquiridos por não residentes foi diferente no ano de 2019. O Algarve continuou a liderar em número, com 26,9% (tinha conseguido 28,6% em 2018) e voltou a ultrapassar a Área Metropolitana de Lisboa em termos do valor global dos imóveis adquiridos por não residentes (situação que se havia invertido em 2018), representando assim 37,7% do valor das aquisições por não residentes. A Área Metropolitana de Lisboa teve 35,8%, depois de ter conseguido aumentar 6,1% em número de transacções e ter perdido 8,5% em valor, face a 2018.

Estes números são influenciados pelos chamados Golden Visas, o nome vulgarmente atribuído às Autorizações de Residência em Portugal para Actividades de Investimento, atribuídos a quem fizer investimentos superiores aos 500 mil euros e que existe desde 2012. Segundo o INE, quase 40% do valor das aquisições de não residentes correspondeu a imóveis com valor unitário igual ou superior a 500 mil euros. E o valor médio dos imóveis adquiridos por não residentes por preço igual ou superior a 500.000 euros atingiu 923.016 euros, aumentando 3,2% face a 2018.

No seu boletim anual acerca da aquisição de imóveis por não residentes, o INE destaca que no ano de 2019 voltou a aumentar a proporção de imóveis vendidos a estrangeiros com um valor unitário igual ou superior a 500 mil euros - representando 7,5% do número de imóveis adquiridos por não residentes e 39,2% do valor total. Um crescimento face a 2018, quando estas vendas significavam 7,2% do número de transacções e 37,6% em valor.

Tal como no ano anterior, foram os residentes em França que mais imóveis adquiriram em Portugal (18,1% do valor total dos imóveis adquiridos por não residentes), seguidos pelos residentes no Reino Unido (17,3%). Entre os principais países de residência dos compradores não residentes, é de salientar a China, cujo valor médio dos imóveis adquiridos por residentes neste país (373.071 euros) foi mais do dobro do valor médio total dos imóveis vendidos a residentes no estrangeiro.

Leia o artigo original aqui.

 

Fotografia de Frank Nürnberger em Unsplash

Our website, like many others, uses cookies to help us customise the user experience. Cookies are important to the proper functioning of a site. To improve your experience, we use cookies to remember log-in details and provide secure log-in, collect statistics to optimize site functionality and deliver content tailored to your interests.

Agree and Proceed
X